Em preparação à Cúpula dos Povos, organizações sociais promovem Tenda contra Mercantilização da Vida

Em preparação à Cúpula dos Povos, organizações sociais promovem Tenda contra Mercantilização da Vida

 

O Dia Internacional do Meio Ambiente (5/6) promete ser o ensaio-geral para a Cúpula dos Povos. Diversas mobilizações em defesa dos bens comuns e contra a mercantilização da natureza estão programadas para acontecer em diferentes partes do mundo. Em São Paulo, entidades realizam a Tenda contra a Mercantilização da Vida – Não à Economia Verde, pela justiça ambiental, por uma economia solidária e pela sociedade do bem-viver, das 10h às 16h, no Largo São Francisco, região central da cidade.

 

A atividade tem por objetivo promover, por meio de ações lúdicas e visuais, uma crítica à “Economia Verde”, proposta na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio + 20. O documento oficial da ONU, no primeiro capítulo sobre economia verde, coloca que o principal aliado para a transição ao modelo sustentável é o setor privado, que está participando diretamente da elaboração do documento, inclusive no desenvolvimento das chamadas “metas de desenvolvimento sustentável”.

 

Diante disso, a tenda dará visibilidade e se posiciona contra a mercantilização da vida no planeta e as falsas soluções, presentes na aceleração do processo de privatização dos bens da natureza, pela desobrigação dos Estados nacionais na defesa da natureza em favor das grandes corporações, que vão se tornando as responsáveis pela suposta “proteção” ao meio ambiente por meio de sua precificação e pela desvalorização dos direitos humanos, desconsiderados na discussão da Rio+20.

 

A ato do dia 5 de junho quer dizer não ao capitalismo que se mascara de verde e que visa somente o lucro em detrimento dos direitos ecológicos e humanos.  A Tenda, assim como a Cúpula dos Povos, defende modelos que têm por princípio uma crítica frontal a mercantilização e financeirização da vida, pela defesa da ideia de bens comuns. Ou seja, água e ar, por exemplo, devem continuar sendo bens comuns, preservados, e não podem ser privatizados e mercantilizados. Estas são as alternativas concretas à Economia Verde que a tenda apresentará, pela exposição das lutas que existem por todo o mundo em defesa de uma Justiça Ambiental e Social.

 

Junto à tenda, serão promovidas intervenções artísticas (teatrais, com música e dança), panfletagem e oficinas de produção de cartazes com frases contra a mercantilização da vida como parte da Campanha Não à Economia Verde. Veja abaixo o convite do evento.

 

Para saber mais sobre a Campanha Não à Economia Verde acesse: http://nogreeneconomy.org/pt-br

 

Serviço

Tenda Contra a Mercantilização da Vida – rumo à Cúpula dos Povos

Quando: Dia 5 de junho de 2012

Onde: Largo São Francisco – Centro de São Paulo, SP.

 

Informações para a imprensa

Hugo Fantoncomunicacao@abong.org.br

Telefone: (11) 3237-2122

Fabiano Vianacomunicacao@sefras.org.br

Telefone: (11) 3291-4433/83368400

 

                       

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Não à "Economia Verde", RIO+20 / Cúpula dos Povos. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s